DESTAQUES


Waltercio Caldas | Sesc Belenzinho

28 ago - 30 nov, 2014

Abertura: 27 de agosto das 21 as 22h30
Visitação: 28 ago – 30 nov, 2014
ter – sáb > 9 – 21h
dom e feriados > 9 – 19h

Waltercio Caldas cria a instalação inédita Mar de Exemplo para o projeto Vão do Sesc Belenzinho. Artista ocupa área de convivência com obra composta por 30 estruturas em aço inoxidável.

O Sesc Belenzinho convidou o artista Waltercio Caldas para a quinta edição do projeto Vão. No dia 27 de agosto, às 21h, o escultor, desenhista, artista gráfico e cenógrafo realiza a abertura para convidados da instalação inédita Mar de Exemplo, especialmente concebida para o Átrio da Torre, um espaço de convivência que possui um vão de 21 metros, com vista para a piscina no subsolo, por meio de um piso de vidro, e para os três pavimentos superiores.

O projeto Vão dá liberdade ao artista de criar uma obra específica, exclusiva e que possa promover novas formas de relação com o espaço em diálogo com o público que circula na unidade.

Mar de Exemplo consiste na repetição ordenada de 30 estruturas construídas em aço inoxidável, onde estão fixadas quatro palavras que se multiplicam pelo ambiente, gerando a cada olhar novas camadas de planos e volumes. A proposta considera especialmente a presença física das pessoas, de maneira a permitir ao público estar dentro e fora da obra ao mesmo tempo.

“Sendo um artista que privilegia a tridimensionalidade, sinto-me absolutamente à vontade ao tratar do espaço como matéria inequívoca dos trabalhos e consequentemente lugares e ambientes utilizados para exposições de arte”, conta Waltercio. A obra proposta considera as características marcantes do local: a escala do ambiente, a transparência do solo e a luminosidade excessiva da grande janela frontal.

“Se abaixo vemos a água e acima vemos a luz, este lugar, sem referências imediatamente identificáveis, me pareceu por estas razões, muito estimulante. Procurei a partir daí manter estas características sem acrescentar alguma figura ou tema discursivo ao ambiente, exceto quatro palavras que se multiplicam, onde cada uma delas, em sua sequência infinita, cria novas camadas de planos e volumes”, explica. Estas palavras, tratadas na obra como objetos físicos, foram cuidadosamente escolhidas para que suas repetições as dissolvam. São palavras que deliberadamente evitam toda e qualquer sugestão de imagem que possa resultar delas.

As edições anteriores do projeto contaram com as obras Escadas de Carmela Gross, No Meio do Vão, de Carlos Fajardo, A Cabana do Vento de José Resende, e Circumstantiam de Maria Bonomi.