SOBRE RAQUEL ARNAUD

A trajetória da galerista Raquel Arnaud se confunde com o período em que o meio de arte do país se diversificou, se tornou mais profissional – tanto institucional quanto comercialmente – e relevante, ao mesmo tempo em que a produção artística ganhava regularidade e consistência.

Rodrigo Naves

Os primeiros passos de Raquel Arnaud nesse meio foram dados ainda na década de 1960, quando ela teve contato com importantes personalidades das artes, como Lasar Segall e Pietro Maria Bardi. Com o professor Bardi, trabalhou nos primeiros momentos do Museu de Arte de São Paulo (Masp) em sua sede atual, na avenida Paulista, entre 1968 e 1971.

Em 1973, Raquel Arnaud inaugurou sua primeira galeria: o Gabinete de Artes Gráficas, no qual permaneceu até 1979. Nesse mesmo período, a convite da Rede Globo de Televisão, dirigiu a galeria Arte Global, na qual estreitou relações com artistas como Iole de Freitas, Anna Maria Maiolino, Lygia Pape, Roberto Magalhães e Carlos Vergara, entre outros. Em seis anos à frente da Arte Global, organizou cerca de cem exposições.

Em 1980, com a criação do Gabinete de Arte Raquel Arnaud, focado em um dos segmentos mais importantes do século XX – a abstração geométrica –, Raquel cercou-se de artistas/parceiros/amigos como Sergio Camargo, Lygia Clark, Amilcar de Castro, Mira Schendel, Arthur Luiz Piza, Waltercio Caldas, Tunga, José Resende, Nuno Ramos e Hércules Barsotti. Esse elenco de artistas fez crescer o Gabinete de Arte, cujos catálogos, convites e publicações, elaborados com designers e grandes artistas como Fernando Lemos, Willys de Castro e Waltercio Caldas, tornaram-se uma das marcas registradas do trabalho da galerista Raquel Arnaud.

Em 2011, com a mudança de endereço e de nome, de Gabinete para Galeria Raquel Arnaud, a galerista inaugura uma nova etapa profissional e pessoal, na qual será possível, além de uma maior aproximação com o público e com seus clientes, explorar novos universos artísticos, como a fotografia. No entanto, o trato particular de Raquel com os artistas que representa, marcado por uma afinidade que começa no encantamento pela obra e se desenvolve na amizade e na cumplicidade conquistadas através de uma longa parceria, permanecerá sempre como um dos grandes diferenciais de Raquel Arnaud.

 

.