EXPOSIÇÃO


Circunstância e Ambiguidade da Cor – Carlos Cruz-Diez

11/04/2012 a 02/06/2012



O ‘suporte estático na pintura’, enquanto conceito, tem acompanhado a expressão plástica através dos séculos. Foi a solução imaginada pelo homem para deter o tempo e registrar a natureza efêmera de um instante. A pintura sobre o plano é, portanto, símbolo de permanência e eternidade.
As “Cores Aditivas” e as “Induções Cromáticas” propõem outra solução, uma que integra a noção de tempo e espaço reais ao ‘plano estático’. Nessas obras se produz um acontecimento cromático que evolui continuamente com a movimentação do espectador e com a mudança da luz, em contradição com a natureza e os cânones do espaço pictórico tradicional.
São obras planas e estáticas que evoluem e se modificam em uma dialética de espaço e tempo entre o espectador e a obra, evidenciando a ambiguidade da cor, que se cria e evolui fora do suporte pintado.
Eu trabalho no limite da ‘visão normal’, não para causar ‘efeitos’. Busco pôr em evidência circunstâncias inéditas – mas reais – da visão, com o propósito de estabelecer outra relação de conhecimento.
A linha não é um elemento estético, é o meio mais eficaz que eu pude encontrar para multiplicar as zonas críticas de visão entre dois planos de cor, com o objetivo de gerar gamas de cor novas e instáveis.